Conheça a História de João Carvalho, o Lutador de MMA que Morreu Após um Combate

O português João Carvalho, lutador de artes marciais mistas que tinha a alcunha de “Rafeiro”, morreu após um evento em Dublin, na Irlanda. O combate aparentou ser nada mais do que uma luta completamente normal.

Segundo os amigos e colegas, os quais treinavam com João Carvalho no ginásio lisboeta para os membros da Nóbrega Team, a causa da morte do lutador não se deve a um espancamento.

Estão cientes de que João era um atleta extremamente apto e treinado para resistir aos combates. Para eles, o árbitro agiu apropriadamente. Não houve qualquer razão que justificasse que o duelo fosse interrompido.

No entanto, como é comum ocorrer no mundo online, os comentários desinformados e desagradáveis acumularam-se após o anúncio da morte de João “Rafeiro”. Muitos utilizadores simplesmente assumem que as artes marciais mistas são um desporto altamente perigoso e que os seus praticantes são bandidos e delinquentes.

Essa é uma das principais razões pelas quais a grande maioria dos lutadores e de outros profissionais do mundo do MMA decidiu não prestar declarações acerca da triste notícia.

A Comissão Atlética Portuguesa de MMA, o organismo que regula e promove a prática da modalidade em Portugal, entende perfeitamente essa atitude. Mas os seus membros consideram que é a sua obrigação combater a ignorância que ainda faz pairar um sentimento de desconfiança sobre o desporto.

O combate em que João Carvalho, de 28 anos, participou na capital irlandesa, foi o seu primeiro e, infelizmente, último a nível internacional. O jovem talento praticava MMA há já uma década.

Nos meses que precederam o evento, o português treinou sete dias por semana, passando mais tempo no ginásio do que na própria casa. João Carvalho e os treinadores estudaram ao mínimo detalhe o estilo, as técnicas e os padrões do lutador adversário, o irlandês Charlie Ward, que acabou por vencer o confronto.

João deixou dois filhos, um de doze e um de sete anos. Quem o conhecia, sabia muito bem que de rafeiro tinha somente a sua alcunha no mundo do MMA, pois não havia nada de comum ou inferior na sua personalidade e no seu trabalho.

A opinião consensual é que João “Rafeiro” era, desde rapaz, um jovem exemplar e respeitador, cuja alegria radiante contagiava quem quer que estivesse na sua presença. Como atleta, era correto, disciplinado e zeloso. Afinal, a sua maior ambição era a de alcançar uma carreira mundial nas artes marciais mistas.

Dito de forma simples, isto é que os amigos, familiares e colegas desejam que fique na memória do público: João Carvalho era um verdadeiro guerreiro. E até à sua morte, nunca deixou de o ser.